quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

MOTIVOS PARA ADOTAR UM VIRA-LATA

1. Uma caixinha de surpresas
Quando você tem um cachorro de raça pura, já consegue saber muita coisa sobre o seu temperamento e características. Mas quando você adota um vira-lata, é como se você tivesse um filho. Você ainda não sabe nada sobre ele, vai conhecendo ele aos poucos e isso torna a ligação de vocês ainda mais especial.
 
2. Você está salvando uma vida
Os cães que vivem em abrigos ficam em canis de 4m2. Não brincam, não recebem carinho e nem companhia constante de humanos. Não tem uma família pra chamar de sua. Esses cães muitas vezes são eutanasiados quando estão mais velhos, pra liberar espaço pra outros cães mais jovens no abrigo. Tenha certeza que se você resgatar um animal, ele nunca irá esquecer.
 
3. Custo inicial baixo
Você não vai ter o custo de comprar um cão de raça pura, que é bem alto. Além disso, os vira-latas pra adoção já estão castrados e você economiza de R$400 a R$900 se fosse castrar um cão comprado.
 
4. São mais resistentes
Algumas raças puras tem predisposição a desenvolver certas doenças, dependendo da raça. O cachorro vira-lata vem por anos e anos sendo selecionado naturalmente, pois eles precisam ser fortes e resistentes pra sobreviver nas ruas sem a ajuda do homem. Os mais fracos não resistem e morrem, ficando assim os mais fortes.
 
5. Você pode pular a fase de filhote
Ter um filhote em casa pode ser uma grande dor de cabeça. Muitas pessoas não tem tempo de treinar e educar um filhotinho, que demanda muita atenção pelo menos nos 6 primeiros meses. Quando você adota um vira-lata, você pode escolher a idade do cachorro. E são os adultos que mais precisam, pois infelizmente eles são mais difíceis de serem adotados. Veja aqui as vantagens de adotar um cão adulto.
 
6. Pode ser que ele já esteja treinado
Muitos cachorros que estão pra adoção foram abandonados pelos seus antigos donos. Por isso, é muito comum que o cão já seja treinado, já saiba onde fazer xixi e algumas regras básicas como não mastigar sapatos. ;)
 
7. Ele podem realizar tarefas
Muitos vira-latas vem sendo usados hoje como cão-guia ou cão de terapia. Isso vai depender do temperamento do indivíduo, e não da sua raça.
 
8. Você vai melhorar a vida de um animal 
Imagina pegar um cachorro em um abrigo e dar pra ele ração da melhor qualidade, uma cama quentinha, água fresca toda hora e passeios diários? É uma satisfação enorme!
 
9. São flexíveis
Os vira-latas se adaptam a qualquer situação. Frio, calor, mudanças no ambiente, casa nova. Eles, infelizmente, foram acostumados e aprenderam a se adaptar, pois suas vidas mudaram muito.
 
10. São exclusivos
Não vai ter nenhum cachorro igual ao seu no mundo.
 


domingo, 3 de janeiro de 2016

De quanto em quanto tempo o cachorro deve ser vermifugado

Muitos se perguntam de quanto em quanto tempo o cachorro deve ser vermifugado. A vermifugação é recomendada pela Associação Americana de Veterinários Parasitologistas (AAVP), pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), e pelo Conselho de Combate aos Parasitas em Animais (CAPC). Todos órgãos americanos. Se você quer saber se seu cão está com verme, leia esse artigo http://mordomiapet.blogspot.com.br/2016/01/vermes-em-cachorro.html

Frequência da vermifugação

 
Filhotes de cães*
Inicie o tratamento na segunda semana após o nascimento; repita na quarta, sexta e oitava semanas de idade e em seguida, determine um tratamento preventivo mensal contra dirofilariose, que também controla os parasitas intestinais. Uma combinação de produtos para o tratamento de combate/preventivo da dirofilariose e parasitas intestinais dado ao longo do ano diminui o risco de parasitas. Se não utilizar este tipo de produtos, vermifugue na segunda, quarta, sexta e oitava semanas de idade e, em seguida, com doses mensais até o sexto mês de idade.
 
Mães de resguardo pós-parto
Trate cães e gatos assim como os filhotes.
 
verme - de quanto em quanto tempo tem que vermifugarCães adultos
Se optar pelo tratamento anual de prevenção/combate aos parasitas, peça um exame de fezes de 1 a 2 vezes por ano e trate apropriadamente se necessário. Se não, certifique-se de ter o exame realizado de 2 a 4 vezes ao ano e trate se necessário. Monitore e elimine também os parasitas no ambiente que o animal vive. Segundo veterinários, os animais que vão muito à praia precisam ser vermifugados todo mês, por causa da dirofilariose, o parasita do coração.
 
Animais recém adquiridos
Vermifugue assim que ganhar/comprar o animal; duas semanas após e daí siga as recomendações acima.
 
 
Qual é o melhor remédio de verme?
Depende o que se deseja combater. Para a Pandora eu dou normalmente Drontal, mas é melhor perguntar ao veterinário quando for fazer a primeira consulta com seu cão.
 
 
* A sugestão é que o dono de cães filhotes, recém comprados/ganhos deve obter o histórico de vermifugação deles e contatar seu veterinário para determinar se é necessário vermifugação adicional.
 


Vermes em cachorro

Muitas vezes um animal tem vermes, embora você não veja nenhuma evidência disso. Lombrigas (ascarídeos) tem vários centímetros de comprimento, se parecem com espaguete e podem ser vistos ocasionalmente nas fezes ou vômito de um animal infectado. No entanto, geralmente não são vistos.
 
Ancilóstomos e tricurídeos são muito pequenos e é praticamente impossível de serem vistos nas fezes ou vômito.
 
Segmentos de tênias podem ser vistos; eles podem ter a aparência de segmentos retangulares e vistos em torno da região anal do animal, ou como segmentos brancos em volta do ânus.
 
cachorro com vermeEntão, basicamente, com exceção das tênias, a melhor maneira de diagnosticar os vermes em um animal de estimação é através de um exame de fezes realizado com o seu veterinário. Em um exame de fezes, procura-se por ovos microscópicos dos vermes. Os ovos podem não estar sempre presente nas fezes, mesmo quando o animal está infectado. É por este motivo que a vermifugação regular deve ser realizada mesmo que não haja evidências da presença dos vermes. Os exames fecais devem ser realizados regularmente para detectar a presença de espécies de vermes parasitas que podem não ser eliminados por vermífugos comuns.
 
Lembrando: vermífugos não previnem o verme, eles apenas tratam o verme que já existe. Seu cão pode tomar o vermífugo hoje e daqui a dois dias pegar verme. 
 
Cada veterinário aconselha uma coisa em matéria de vermifugação. Alguns indicam a vermifugação mensal no filhote até os 6 meses e depois disso, de 3 em 3 meses. Outros dizem que basta ser de 3 em 3 meses ou de 6 em 6 meses. O melhor a fazer é perguntar para o seu veterinário de confiança.


Meu cachorro esta fazendo cocô com sangue, o que eu faço?

Se o seu cachorro está fazendo cocô com sangue, é sinal de que algo está errado. As fezes podem apresentar um muco vermelho vivo (sangue) ou ser uma diarreia de cor escura e mal cheirosa. Em qualquer um dos casos, seu cachorro precisa ser consultado por um veterinário. Apenas um profissional capacitado poderá diagnosticar a causa e tratar o seu cachorro.
 
Podem ser vários os motivos das fezes com sangue. Um deles é a Parvovirose, que é uma doença grave e que precisa ser tratada o quanto antes, além de que o animal precisa também ficar isolado. Se não for tratada, pode levar à morte do animal, principalmente filhotes.
 
cocô com sangue também pode indicar viroses que atacam a mucosa dos intestinos: Coronavírus, Rotavírus ou Giárdia. O animal precisará de medicamentos específicos para se recuperar.
 
Em um caso mais leve, o sangue nas fezes pode indicar verme, que será tratado com vermífugos, prescritos pelo veterinário.
 
Mas, as causas de sangue nas fezes podem ser várias, por exemplo o envenenamento (se tiver acompanhada de salivação excessiva) ou a ingestão de um objeto pontiagudo que perfurou o intestino (neste caso, provavelmente o cão também vai vomitar sangue).
 
 

Como evitar sangue nas fezes

 
Se a causa do sangue nas fezes for o ressecamento das fezes, o cão pode forçar muito para evacuar e assim machucar o reto, saindo sangue. Isso normalmente é mais comum em cães idosos. Aumentar a ingestão de água pode ajudar. Um fio de azeite extravirgem na ração também ajuda o cão a evacuar melhor.
 
Se você mudou a alimentação do cachorro recentemente, ele pode ter alguma alergia ou intolerância a algum ingrediente, o que também pode provocar o sangue nas fezes.
 
 

Causas de sangue nas fezes dos cachorros

 
sangue nas fezes- Parvovirose
– Coronavírus
– Rotavírus
– Giárdia
– Verme
– Envenenamento
– Corte no intestino
– Fezes ressecadas
– Alergia ou intolerância alimentar
– Infecção no reto
– Infecção nas glândulas perianais
– Úlcera gástrica

PARVOVIROSE CANINA

Parvo vírus canino ou parvovirose canina, é uma doença das doenças mais comuns em cachorros.
 
parvovirose é uma doença altamente contagiosa, caracterizada por diarreia com sangue. Vacinas atuais têm ajudado a controlar a propagação desta doença, mas apesar de terem sido vacinados, alguns cães ainda contraem e morrem. Há muito que não sabemos sobre o vírus ou qual a melhor maneira de controlar a doença, mas estamos aprendendo novas informações diariamente. Há muita desinformação sobre a doença, sua propagação e a vacinação é generalizada. Esperamos que com uma melhor compreensão da doença, os donos sejam capazes de tomar boas decisões para a saúde de seus cães que ajudarão a prevenir e reduzir a propagação.
 
 

O que é parvovirose canina?

 
parvoviroseA parvovirose é transmitida através do contato com fezes contendo o vírus parvovírus. O vírus é conhecido por sobreviver com objetos inanimados – como roupas, panelas de comida, e piso das gaiolas – para 5 meses e já em condições adequadas. Os insetos e roedores podem também servir como vetores que jogam um papel importante na transmissão da doença. Isto significa que qualquer material fecal ou vômito precisa ser removido com um detergente, antes da solução de lixívia ser usada. Água sanitária deve ser utilizada em roupas, pratos, pisos do canil e outros materiais impermeáveis que podem ser contaminadas.
 
O período normal de incubação (tempo de exposição ao vírus para o momento em que os sinais da doença aparecem) é de 7-14 dias. O vírus pode ser encontrado nas fezes vários dias antes dos sinais clínicos da doença aparecem e pode durar de uma a duas semanas após o início da doença.
 
 

Sintomas da parvovirose canina

 
parvovirose caninaVômito, letargia, anorexia, grande perda de peso, febre (em alguns casos) e diarreia com sangue são os principais sintomas. Muitos cães adultos expostos ao vírus mostram muito poucos sintomas, às vezes nenhum. A maioria dos casos da doença são observados em cães com menos de 6 meses de idade, com os casos mais graves que ocorrem em cachorros com menos de 12 semanas de idade. Algumas raças de cães são mais propensas a contrair o vírus, como RottweilersDobermann e Labrador Retriever.
 
A forma mais comum da doença é a forma intestinal conhecida como enterite. Parvo vírus enterite é caracterizada por vômitos (muitas vezes grave), diarreia, desidratação, fezes escuras ou com sangue, e em casos graves febre e contagem de glóbulos brancos do sangue que ficam reduzidos. Enterite aguda ou parvo vírus pode ser visto em cães de qualquer raça, sexo ou idade. A doença pode progredir rapidamente e morte pode ocorrer mais cedo, dois dias após o início da doença. A presença de bactérias negativas, parasitas ou outros vírus, pode piorar a gravidade da doença e deixar a recuperação lenta.
 
A maioria dos cães com parvovirose apresenta febre alta, chegando à temperatura de 41ºC, seguida de desidratação. Veja aqui como verificar se seu cão está com febre. Cuidado: às vezes a febre é sinal dehipertermia, e não de parvovirose. Veja aqui sobre os sintomas da hipertermia.
 
 

Diagnóstico da parvovirose canina

 
Nem todos os casos de diarreia sanguinolenta com ou sem vômitos são provocadas pelo parvo vírus e muitos filhotes doentes são diagnosticadas como tendo “parvo”. A única maneira de saber se um cão tem parvovirose é através de um teste de diagnóstico positivo. Os exames tradicionais de sangue para a titulação e um exame simples das fezes costumam ser suficientes para o diagnóstico da parvovirose. Teste de todos os casos suspeitos de parvo é a única maneira de diagnosticar corretamente e tratar esta doença. Um exame físico completo e exames laboratoriais adicionais, tais como um hemograma e bioquímica ajudam para determinar a gravidade da doença.
 
 

Tratamento da parvovirose canina

 
Atenção: se o cão tem parvovirose, isole-o de outros animais para evitar o contágio. Se possível, interne-o em uma clínica veterinária durante o tratamento.
 
Normalmente o cão com parvovirose fica muito desidratado e precisa ser internado. Ele precisa receber fluidos e eletrólitos para repor as perdas devido à desidratação. Em casos muito graves, utiliza-se expansores plasmáticos, para que o cão não tenha um choque hipovolêmico. Além disso, o cão começa a tomar antibióticos e remédios para evitar o vômito e não piorar a desidratação.
 
Durante o tratamento da parvovirose, o animal perde o apetite e não se alimenta. Por isso o retorno à alimentação precisa ser feito de forma muito gradativa e preferencialmente com rações medicamentosas e especiais, pois elas possuem uma absorção mais eficaz, ideal para cães enfermos.
 
Quando o cão está 100% bom e com imunidade mais alta, ele volta a se desenvolver, mas pode ter um atraso em seu crescimento e algumas sequelas. Ele vai precisar de uma ração super premium bem nutritiva para se recuperar. A parvovirose não se cura sozinha e é muito importante o auxílio do veterinário para que o cão se salve.
 
Parvovirose mata? Mata. Por isso é preciso estar atento aos menores sinais do seu cachorro e conhecê-lo muito bem para notar mudanças em sua rotina habitual. O resultado do tratamento vai depender da imunidade do cachorro, o estágio atual da doença (se ficou muito tempo com o vírus sem ter tratamento) e se o veterinário conhece a doença e sabe como tratá-la. Assim como a maioria das doenças, quanto antes for diagnosticada, mais chances de sucesso no tratamento.
 

Parvovirose canina tem cura

 
Tem. Porém, como já falamos anteriormente, a cura depende do quão cedo foi feito o diagnóstico, se o veterinário está bem preparado em relação à doença pra tratá-la corretamente e da resposta imunológica do cão.
 
 

Imunidade e vacinação

 
Se um cachorro se recupera de infecção por parvo vírus, ele é imune a reinfecção para, provavelmente, pelo menos, 20 meses e, possivelmente, para a vida. Além disso, após a recuperação, o vírus não é eliminado nas fezes.A vacina contra a parvovirose está presente na v8 e na v10. As vacinas são seguras e não causam a doença.
 
A principal causa do fracasso de vacinas é um nível de interferência de anticorpos maternos contra a parvovirose canina. Os anticorpos maternos são os anticorpos presentes no leite da mãe durante as primeiras 24 horas após o nascimento do filhote. A idade em que os cachorros podem efetivamente ser imunizados é proporcional à titulação da mãe e da eficácia de transferência de anticorpo materno dentro daquelas primeiras 24 horas. Os níveis elevados de anticorpos maternos presentes na corrente sanguínea dos filhotes vai bloquear a eficácia de uma vacina. Quando os anticorpos maternos caem para um nível suficientemente baixo no cachorro, a imunização por uma vacina comercial vai funciona. O fator que complica é que existe um período de tempo de vários dias a várias semanas para que os anticorpos maternos fiquem suficientemente altos para proporcionar uma proteção contra a doença, mas baixos o suficiente para a vacina ter sucesso. Este período é chamada de janela de suscetibilidade. Este é o momento em que apesar de serem vacinadas, um filhote de cachorro ainda pode contrair parvovirose. A duração e horário da janela de suscetibilidade é diferente em cada filhote de cachorro em cada ninhada.
 
Um estudo de uma seção transversal de diferentes filhotes mostrou a idade em que eles foram capazes de responder a uma vacina e desenvolver a proteção completa por um vasto período de tempo. Às 9 semanas de idade, 40% dos filhotes foram capazes de responder à vacina. O número aumentado para 60% em 16 semanas e com 18 semanas de idade, 95% dos filhotes poderiam ser imunizados.
 
 

Como prevenir a parvovirose canina

 
Existem duas formas de prevenir a parvovirose: vacina e higiene.
 
- Vacinação preventiva
A vacinação é a mais eficaz das medidas de prevenção, mas não elimina os riscos por completo. Cães vacinados também podem contrair parvovirose. A vacina contra parvovirose está incluída na v8 e na v10. Portanto, vacinando seu filhote com v8 ou v10 até os 4 meses, ele estará também tomando a vacina de parvovirose. Veja aqui as vacinas e o calendário e vacinação. A v8 e a v10 tem reforço anual por toda a vida do cão, junto com a vacina da raiva.
 
- Limpeza do ambiente
Se você teve algum cão com parvovirose, limpe o local frequentado pelo cão infectado com água sanitária, para evitar que outros cães contraiam a doença.
 
Se seu cachorro faleceu por conta da parvovirose ou se ele ficou curado, não importa, limpe o local imediatamente. Se você vier a ter outro cachorro ou se alguma visita levar o cão pra sua casa, ele pode contrair a doença, mesmo que tenham se passado meses.
 
Desinfetantes comuns podem não acabar com o parvovírus, pois eles são muito resistentes. Dilua 4 colheres de sopa de água sanitária em 2 litros de água (use uma garrafa pet de 2L). Deixe a solução no local infectado por 20 minutos no mínimo antes de ser enxaguado.
 
 

A parvovirose pode ser transmitida para seres humanos ou para gatos?

 
Até hoje, não foram encontrados casos de contaminação da doença em humanos ou outros animais, como gatos, passarinhos, cavalos, etc.
 
 

Tratamento caseiro para parvovirose

 
Alguns sites dão receitas milagrosas de tratamento caseiro para parvovirose. NÃO CAIA NESSA. A parvovirose pode matar o seu cachorro, não arrisque a vida dele fazendo tratamento caseiro. Ele precisa ser diagnosticado corretamente por um veterinário e receber os medicamentos necessários para conseguir se salvar.
 
 

Conclusão

 
Em resumo, a parvovirose é um problema muito comum, além de ser uma grande causa de morte de filhotes. Devido à sua capacidade de ser transmitida através das mãos, na roupa e mais prováveis: roedores e insetos, é virtualmente impossível ter um canil que não esteja exposto à doença. Vacinas com o vírus modificado são seguras e eficazes, mas, apesar do melhor protocolo de vacinação, todos os filhotes terão uma janela de suscetibilidade de pelo menos vários dias na qual estarão em risco. O tratamento imediato por um veterinário irá aumentar a capacidade de sobrevivência em filhotes infectados e trabalhar com o seu veterinário sobre um programa de vacinação que é melhor para o seu cachorro é importante.
 

A partir de agora, pets shops só podem vender produtos para os animais.

Já estão em vigor as novas regras para o setor de pet shop. Agora as mais de 33 mil lojas do país só vão poder vender produtos para os animais de estimação. A aplicação de vacinas, as cirurgias e os exames nos bichinhos devem ser feitos em consultórios ou clínicas especializadas, onde tenha um médico veterinário.
Nem todos os lugares são ideias pra levar o bichinho. O petshop, por exemplo, não é lugar pra fazer exames, consultas, nem para cirurgias e mesmo assim tem comerciante oferecendo estes serviços. É para evitar isso que o Conselho de Medicina Veterinária está fazendo uma fiscalização em todo Brasil.
Petshop é para vender acessórios, ração, shampoo. Já no consultório são feitos exames, aplicação de vacinas; clínica é onde os animais são submetidos a cirurgia.
A partir de agora também é obrigatória a presença de um veterinário para acompanhar os procedimentos. A resolução exige ainda que o petshop ofereça boas condições de higiene, luminosidade e pouco barulho, para que o bicho não fique estressado.
“A situação mais frequente é esta do espaço inadequado. Num ambiente onde cabe dois, três ter quatro, cinco ou mais animais”, fala o presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária, Benedito Dias de Oliveira Filho.
Tantas exigências não são por acaso. O setor movimentou ano passado mais de R$14 bilhões. O mercado de pet no Brasil só fica atrás dos Estados Unidos.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Cães salvam vidas!

Na Itália, a guarda costeira tem treinado cães da raça Terra Nova (também conhecido pelo nome de Newfoundland Dog) para salvar vidas. Estes cães são inteligentes, gentis, e, sobretudo, conhecidos pela bravura e coragem em salvar vidas de pessoas que estão se afogando. Os Newfoundlands são treinados por um período mínimo de três anos. Após esse período de treinamento, eles são capazes de saltar de barcos e helicópteros em movimento, e usar sua imensa força para puxar as pessoas em perigo e levá-las a um local seguro. Mais de 300 cães Terra nova estão de plantão em todas as praias da Itália, e eles são responsáveis por salvar cerca de 3.000 pessoas a cada ano.